sábado, 19 de dezembro de 2015

Os bastidores de 'Mulheres de Areia'

Não percam no site do 'Canal Viva'
Da primeira versão ao mercado externo; da duplicação de uma atriz a multiplicação de reprises...
Por Duh Secco

Guilherme Fontes e Gloria Pires protagonizaram o remake de 'Mulheres de Areia' em 1993

↓↓ Reprodução ↓↓

Já tá todo mundo se perguntando: Ruth ou Raquel? Se for pra escolher, vamos ficar logo com as duas, porque Ruth (Glória Pires) sem Raquel (também Glória Pires), e vice-versa, é tipo “avião sem asa, fogueira sem brasa, queijo sem goiabada”... Tipo Vivo no VIVA sem post de bastidores das próximas novelas. Por isso, com vocês, tudo o que rolou em Mulheres de Areia e nós não vimos, mas agora saberemos...

Sucesso absoluto em 1993, Mulheres de Areia já havia parado o país com suas versões originais. “Suas” sim, porque a novela nasceu na Rádio São Paulo, em 1965, sob o título As Noivas Morrem No Mar. E ganhou a telinha da TV Tupi, em 1973.


Ivani Ribeiro




- A autora Ivani Ribeiro buscou inspiração no filme Uma Vida Roubada (Stolen Life), deCurtis Bernhardt, rodado em 1946. No longa, Bette Davis interpreta as gêmeas Kate e Pat. A primeira se apaixona por Bill (Glenn Ford), mas é a segunda quem desperta o interesse do rapaz. Kate, então, entra em depressão. Até que um acidente de barco lhe dá a chance de tomar o lugar da irmã e viver sua paixão por Bill.

- Em As Noivas Morrem No Mar, a atriz Marisa Fernanda era quem pontuava as diferenças de comportamento das gêmeas, tendo como único recurso a sua voz.

- Na televisão, Eva Wilma emprestou sua imagem a Ruth e RaquelMulheres de Areiaestreou em 26 de março de 1973, às 20h20, logo após o primeiro capítulo de A Volta de Beto Rockfeller, às 20h00. Para combater as novas produções da concorrente, a TV Globo exibiu um capítulo especial de Cavalo de Aço, com 90 minutos de duração.


Eva Wilma em
- Em pouco tempo, a novela elevou os índices da TV Tupi, de 05% para 29%. Com isso, o esticamento se tornou inevitável. Mulheres de Areia, que durante sua exibição migrou para o horário das 19h45, batendo de frente com oJornal Nacional, chegou ao fim após 253 capítulos, em 05 de fevereiro de 1974, dividindo a faixa nobre da programação com sua substituta, Os Inocentes (também escrita por Ivani Ribeiro).

- O sucesso da primeira versão pode ser medido não só em números, mas também pela influência na sociedade brasileira de então. O texto, que denunciava a exploração comercial sobre pequenos pescadores, motivou a criação de cooperativas destes em Itanhaém, onde a novela foi gravada. Também incentivou a campanha de alfabetização difundida pelo governo na época, o MOBRAL, Movimento Brasileiro de Alfabetização, através da professora Ruth e da analfabeta Alzira (Ana Rosa).

- Itanhaém, aliás, registrou um assustador aumento no número de turistas, durante a exibição da novela. Todos interessados em conhecer os locais de gravação e ver seus ídolos de perto. A polícia era constantemente acionada para conter a “fúria” dos visitantes. Ainda assim, não foi possível impedir que os fãs de Eva Wilma virassem o Fusca que abrigava a atriz, na tentativa de se aproximarem dela.

- Como agradecimento pelo destaque dado ao município, a prefeitura de Itanhaém inaugurou em 1976, na praia dos Pescadores, uma estátua representando Eva Wilma.


Eva Wilma com a irmã de Walter, Regiane.


Regiane Azevedo ao lado de Eva Wilma na praia de Itanhaém.


- Meu amigo querido Walter de Azevedo ainda era pequerrucho quando foi a Itanhaém conhecer os cenários da novela. Walter compartilha com a gente suas lembranças daquele dia e fotos pessoais (acima e abaixo), ao lado de sua irmã, Regiane, de Eva Wilma,Gianfrancesco Guarnieri (Tonho da Lua) e Léa Camargo (a dona Dala, de Despedida de SolteiroDo Carmo): “Eu lembro que, na novela, havia uma casa que ficava em um morro, não sei se era a casa do Tonho. Eu, que na época tinha 2/3 anos, saí correndo porque queria subir o morro e a minha mãe saiu atrás de mim. Quando eu estava quase chegando lá ela me pegou. Frustradíssimo na mais tenra infância!”.

Gianfracesco Guarniei com Walter e sua irmã, Regiane.


Walter de Azevedo no colo de Gianfrancesco Guarnieri. Ao lado, sua irmã, Regiane.


Carlos Zara e Eva Wilma em 'Mulheres de Areia' (1993)
- Outras curiosidades marcam a primeira versão para a TV de Mulheres de Areia. Dentre elas, a participação de Adoniram Barbosa como Chico Belo, vivido por Joel Barcellos no remake da TV Globo. E as rusgas de Eva Wilma e Carlos Zara. Ela, a atriz principal; ele, o diretor (em parceria comEdison Braga) e protagonista, Marcos. Vivinha e Zara viriam a se casar, anos depois. E reviveriam o par romântico em produções como A Barba Azul, versão original de A Gata Comeu, e Mulher.

- Eva Wilma deu um verdadeiro show como Ruth e Raquel! O visual das gêmeas contribuiu para que o público as distinguisse: Ruth repartia o cabelo de lado, com uma fivela, e não usava batom. Raquel, usava cabelos desgrenhados e maquiagem carregada.

- A técnica de duplicação da atriz era bastante primitiva: tampava-se um lado da lente da câmera para as gravações das cenas de uma gêmea; depois, cobriam o outro lado da lente para as tomadas com a outra personagem. Uma das sequências, em que Ruth e Raquel se encontram na praia (uma saindo do mar, a outra esperando na areia), fora batizada, internamente de “Ruth e Raquel, secas e molhadas”.


- Eva Wilma levou o prêmio APCA de melhor atriz por seu desempenho em Mulheres de Areia. Já o Troféu Imprensa daquele ano ficou com Regina Duarte, pela Cecília, deCarinhoso. A atriz abdicou do prêmio, em reconhecimento ao trabalho de Vivinha.


Claudio Marzo e Regina Duarte na novela
Cláudio Marzo (Humberto) e Regina Duarte (Cecília) em Carinhoso.


- A atualização de Mulheres de Areia, em 1993, contou com elementos de outra trama de Ivani Ribeiro, O Espantalho. A novela de 1977 nasceu após a saída da autora da TV Tupi e de sua contratação pelos Estúdios Silvio Santos. Silvio Santos, na época lançando o seu canal de televisão no Rio de Janeiro (a TVS), era acionista da TV Record, que exibiu O Espantalhopara o estado de São Paulo. A novela ganhou uma reexibição nos últimos meses de atividade da TV Tupi, em 1979.

O Espantalho não foi um grande sucesso, mas chamou a atenção pelo estilo cinematográfico imprimido às suas cenas externas.


- Entre esta novela e Mulheres de Areia apenas um ponto em comum: as gravações em Itanhaém. Meu amigo, o jornalista e leitor assíduo do blog, Ted Sartori, informa que muitas das cenas de O Espantalho foram rodadas na praia do Suarão.

A união de Mulheres de Areia e O Espantalho, certamente, foi fundamental para o sucesso do remake da TV Globo. Entretanto, houve dissonâncias entre as duas obras.

Breno (Daniel Dantas) em Mulheres de Areia

O prefeito Breno (Daniel Dantas), personagem oriundo de O Espantalho.


- Muitos telespectadores questionaram os motivos pelos quais os turistas de Pontal D'Areia não podiam frequentar a praia poluída (tema extraído de O Espantalho), enquanto os pescadores continuavam suas atividades tranquilamente (tema extraído de Mulheres de Areia). A autora Solange Castro Neves, que dividia o roteiro com Ivani Ribeiro, teve de vir a público explicar que o fato de uma praia estar poluída não implica, necessariamente, na poluição de toda a orla; e que a pesca, em alto-mar, era permitida, porque os riscos de contaminação por doenças como cólera eram menores.

- Por fim, a poluição das águas que parecia jogar contra a verossimilhança do roteiro contribuiu para o merchandising social de Mulheres de Areia. Na época, o país vivia um surto de cólera, o que levou a veiculação de uma campanha de conscientização estrelada por Renato Aragão, ensinando a prevenir e diagnosticar a doença. Oportunamente, Ivani Ribeiro inseriu o tema em cenas da novela.

Antes, entretanto, de unir Mulheres de Areia e O Espantalho para conceber a trama que o VIVA exibe a partir de fevereiro de 2016, a autora recebeu a incumbência de adaptar apenas a novela das gêmeas. A produção, por vários motivos, não foi adiante.

Bia Seidl em O Sexo dos Anjos
- Em 1990, Ivani Ribeiro não estava plenamente satisfeita com o resultado da regravação de O Terceiro Pecado, exibida na TV Excelsior em 1968 e reeditada pela TV Globo em 1989 como O Sexo dos Anjos. Por isso, a princípio, reescrever Mulheres de Areia não lhe pareceu uma boa ideia. O projeto acabou engavetado.


- Em 1991, o assunto voltou à tona, diante da escalação da autora para o horário das seis, substituindo Felicidade, de Manoel Carlos, em abril de 1992. Surgiu então a ideia de transformar Mulheres de Areia e O Espantalho em uma única novela.

- De imediato, Ivani Ribeiro manifestou o desejo de contar com Eva Wilma no elenco. A atriz, no entanto, já estava no ar, como a Hilda Pontes, de Pedra Sobre Pedra.

Karen impede que Stella visite Paulinho e mente para o menino
- Glória Pires era a única opção de Ivani Ribeiro para as gêmeas Ruth e Raquel. Grávida, Glorinha não pode aceitar o convite. Cogitaram então o nome de Maria Padilha, recém-saída de O Dono do Mundo, onde vivia a antipática Karen. Mas a autora bateu o pé...  Ou era Glória Pires ou não tinha novela!

- O projeto foi adiado mais uma vez eFelicidade acabou esticada em quase 50 capítulos. Walther Negrão foi então chamado pela direção da TV Globo. Recebeu a planta baixa da cidade cenográfica de Mulheres de Areia, e a incumbência de conceber uma novela em tempo recorde, dentro daquele espaço, já em construção.

- Assim nasceu Despedida de Solteiro. E tal e qual vai acontecer aqui no VIVA ficou acertado que Mulheres de Areia, seria sua substituta, em fevereiro de 1993.

- Os diretores Reynaldo Boury e Carlos Manga Filho, então à frente de Mulheres de Areia, foram remanejados para Despedida de Solteiro.

Wolf Maya fala sobre
Mulheres de Areia entrou em pré-produção, novamente, no momento em que Wolf Mayavoltava de suas merecidas férias, após exaustivos meses a serviço de interminávelBarriga de Aluguel. Aí, a novela, enfim, ganhou sua forma e nossa tela. Wolf já havia dirigido duas produções de Ivani: Final Feliz eHipertensão. O sucesso de Mulheres de Areia levou a outra parceria, A Viagem.

- Na primeira lista de elenco, Cecil Thiré e José Wilker apareciam como candidatos a intérprete de Virgílio Assunção (Raul Cortez). Marcos Frota, confirmado como Tonho da Lua em 1992, desta vez teve de se submeter a testes, enfrentando Ângelo AntônioEduardo Moscovis e Irving São Paulo. Os dois últimos participaram da novela, vivendo, respectivamente, o pescador Tito e o médico Zé Luís.


Tito Belo (Eduardo Moscovis)




- Autora e diretor concordaram, logo de cara, com relação a protagonista: Ruth e Raquel eram de Glória Pires. Mas a atriz havia acabado de dar a luz. Reticente, Glória demorou a aceitar o convite. Com isso, outras atrizes foram sondadas: Cláudia AbreuMalu Mader e Carolina Ferraz, na época, apresentadora do Fantástico.

- Glória cedeu após ler e reler a sinopse, a pedido de Paulo Ubiratan, diretor artístico da novela. Em contrapartida, conseguiu liberação para amamentar a filha no estúdio, obedecendo aos horários já estabelecidos em sua rotina como mãe.


- Dividindo com Glória Pires a árdua tarefa de interpretar Ruth e Raquel estava Graziela de Laurentis. A atriz, que já havia aparecido em frente às câmeras, em Brilhante Amor com Amor se Paga, surgia em Mulheres de Areia apenas de perfil ou de costas. Para as gravações, porém, Graziela decorava todo o texto. Ela “batia” as falas com Glória nas cenas em que Ruth e Raquel contracenavam.

Raquel e Ruth (Glória Pires) em cena da novela







- É claro que essa “divisão de papeis” obrigou Graziela e Glória a determinados esforços. Foi preciso, por exemplo, muito trabalho da equipe de caracterização para que os cabelos das duas atrizes chegassem a tons idênticos.

- Graziela de Laurentis não foi o único caso do tipo “atuou em Mulheres de Areia sem aparecer no vídeo”. O mesmo aconteceu com Cláudio Boeckel, que surgia sempre fantasiado, como o espantalho que atormentava Virgílio Assunção em seus devaneios.

Malu (Vivianne Pasmanter) em Mulheres de Areia
- Já o codiretor da novela, Ignácio Coqueiro, viveu Gilberto, o falecido namorado de Malu(Vivianne Pasmanter). O diretor e a atriz, que se conheceram nas gravações de Felicidade, eram namorados na “vida real”. Além de atuar em flashbacks, Ignácio emprestou uma de suas fotos para a produção de arte compor o cenário de Malu.

- Da trupe de Malu fazia parte o fotógrafoTavinho (Luciano Vianna). Mesmo aparecendo em pouquíssimas cenas ao longo da novela, o autor se tornou um dos campeões de cartas da TV Globo naquele ano.

Dayse Tenório, escalada para viver Alice, a governanta da família Assunção, faleceu em janeiro de 1993, em um acidente automobilístico, antes da estreia da novela. As cenas já gravadas com a atriz, para os primeiros capítulos, foram mantidas.

Eduardo Galvão, Gabriela Alves, João Vitti, Felipe Camargo, Paulo Gorgulho
Gabriela Alves (a Glorinha) estreou oficialmente em Mulheres de Areia após participar do primeiro capítulo de Despedida de Solteiro, como Salete, a prostituta assassinada durante o bota-fora de João Marcos (Felipe Camargo). Também Karina Perez (a Andréa), que vinha de uma breve aparição no último capítulo de As Noivas de Copacabana, como uma provável vítima do maníaco Donato (Miguel Falabella).

Isadora Ribeiro, a Vera, havia sido convidada por Carlos Manga para viver Salete emAgosto. Com o adiamento do projeto, a atriz foi remanejada para Mulheres de Areia. Pouco depois, Letícia Sabatella assumiu o posto de protagonista da minissérie.

- Já Andréa Beltrão, a Tônia, se revezava entre os estúdios de Mulheres de Areia e os deRadical Chic, game-show que a TV Globo lançou em 1993 mirando o público jovem das tardes. No programa, Andréa interpretava a personagem do cartunista Miguel Paiva, em esquetes que dialogavam com o jogo de perguntas e respostas comandado por Maria Paula, na fase pré-Casseta & Planeta, em um auditório.

- Se Andréa Beltrão foi um dos hits de Mulheres de Areia, o mesmo não se pode dizer do seu, a princípio, par romântico, Evandro Mesquita. Dizem que Ivani Ribeiro não gostou do tom que o ator imprimiu ao gaiato Joel. De início, aventaram a hipótese de retorno do personagem, afastado no capítulo 64, o que acabou não acontecendo. Tônia terminou por se envolver comVitor, primo de Joel que surge para tocar o restaurante que este abandonou, vivido por Oscar Magrini, que havia acabado de estrear na TV com um pequeno personagem em Deus Nos Acuda.

- Já Giovanna Gold chegou a demonstrar, publicamente, sua insatisfação com o final deAlzira. Ivani Ribeiro decidiu então rever o caso e dar à personagem um desfecho mais coerente com sua trajetória (que não vamos dizer qual é pra não estragar a surpresa de quem não se lembra ou não viu a novela).

- Carlos Zara, ator e diretor da versão original de Mulheres de Areia, esteve no elenco do remake, como Zé Pedro, pai de Tônia, personagem extraído de O Espantalho. Numa das primeiras gravações da novela, Zara, emocionado, abraçou Guilherme Fontes, o Marcos de 1993, como se estivesse “passando o bastão”.


Marcos (Guilherme Fontes) e Ruth (Glória Pires)




Entretanto, nem só de elementos humanos vive um grande sucesso, como foi Mulheres de Areia. A tecnologia esteve a favor da produção, bem como as belíssimas paisagens que abrigaram muitas das belíssimas cenas da novela.

Ruth (Glória Pires)
- Além do chroma-key, técnica de sobreposição de imagens, e da câmera travada, recurso que permitiu a duplicação de Eva Wilma na primeira versão da novela,Mulheres de Areia contou o memory-head, um microcomputador acoplado à câmera, capaz de comandar os movimentos desta. O dispositivo era utilizado nas cenas que exigiam maior movimentação de Glória Pires, ora como Ruth, ora como Raquel. Uma câmera sobre trilhos, também ligada ao memory-head, foi adquirida pela TV Globo especialmente para a novela, que contou ainda com o auxílio do ultimate, software que permitia um recorte mais preciso na fusão de cenas, em especial as externas.

- Mesmo como todo esse aparato tecnológico, Glória Pires precisou repetir onze vezes a cena em que Ruth estapeia Raquel, no ar no capítulo 168.

- Glorinha marcava todo o cenário com fita crepe. Tais marcações serviam para indicar o ponto para o qual ela precisava olhar, como se estivesse vendo sua “irmã gêmea”, e o momento de executar movimentos necessários às cenas. O ponto eletrônico também servia de guia; através dele, Glória sabia o exato momento de dar suas falas.

Raquel (Glória Pires)
- As gravações eram sempre trabalhosas. As cenas do casamento de Raquel e Marcos consumiram mais de 11 horas de gravação.Carlos Magalhães, o mais habilidoso em sequências envolvendo as gêmeas, fora o responsável pelas tomadas realizadas na Capela da Reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

- Também foi difícil registrar o acidente de barco que leva todos a acreditarem que Raquel está morta. Lanchas e helicópteros a toda velocidade ajudaram a criar as fortes ondas que fizeram a embarcação virar. Nesta sequência, Glória Pires contou com duas dublês: Denise Só e Márcia Romão (que já havia assumido o posto de protagonista no banho de mar que Raquel toma no primeiro capítulo).

- O ator Ricardo Blat, cujo personagem, Marujo, teve um dos braços arrancado por um tubarão, também cortou um dobrado em suas cenas. A princípio, a equipe de caracterização confeccionou um colete de algodão que não cumpriu bem a função de esconder o braço “amputado”. Optaram então por uma cinta de emagrecimento, na qual o braço, posto para trás, ficava rente ao corpo. Ricardo se submetia a uma série de alongamentos para evitar a sensação de dormência no membro. E suas cenas, por orientação médica, eram gravadas em apenas 20 minutos, para evitar prejuízos à musculatura. O resultado disso tudo? O incrível trabalho de Ricardo Blat!


Floriano (Sebastião Vasconcelos),  Marujo (Ricardo Blat), Maria (Lu Mendonça) e Vilma (Denise Milfont)




- Wolf Maya conduziu a direção de maneira espirituosa. Nas cenas da quermesse de Pontal D'Areia, em que alguns moradores tomam partido de Breno (Daniel Dantas), o prefeito, e outros de Virgílio, o vice (na questão relacionada às águas poluídas), Wolf pediu que os figurantes do signo de água (Câncer, Escorpião e Peixes) gritassem a favor de Breno e os de terra (Touro, Virgem e Capricórnio) a favor de Virgílio.

O talento passou de mãe para filha.
- As gravações da lua de mel de Marcos e Raquel, em Nova York, por pouco não foram interrompidas por conta do primeiro atentado a bomba ao World Trade Center, que matou seis pessoas e deixou mais de mil feridos. A equipe havia deixado a cidade no dia anterior, após registros no Central Park, na Quinta Avenida e no Hotel Plaza. Glória Pires aproveitou a viagem de trabalho para se divertir com o marido, Orlando Morais e as filhas Cléo eAntônia, aos seis meses de idade. Cléo, aliás, aparece em um dos capítulos, patinando no gelo, sob os olhares de Raquel e Marcos.

- A novela também contou com externas na praia de Tarituba, próxima a Parati, e em Angra dos Reis, mais precisamente no Hotel do Frade (na ficção, o hotel de Virgílio).

- Uma sequência na praia de Grumari, a festa de Iemanjá, mobilizou 31 médiuns de quatro terreiros do Rio de Janeiro. O sociólogo e estudioso da cultura afro-brasileira, Fernandes Portugal, prestou consultoria à equipe, alterando falas e ensinando gestos utilizados nos rituais de adoração feitos por Donato (Paulo Goulart).


Donato (Paulo Goulart )




- Uma casa no Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro, alugada por US$ 1 mil por dia, serviu de locação para o núcleo dos Assunção. Já a fazenda de Virgílio, uma propriedade de 103 alqueires, ficava em Massambará, distrito de Vassouras, também no Rio, e havia abrigado, anteriormente, cenas de O Salvador da Pátria.

Clotilde (Maitê Proença) e Sassá Mutema (Lima Duarte) em O Salvador da Pátria
- Em O Salvador da Pátria, aliás, a duplaChitãozinho & Xororó canta em um show em homenagem a Sassá Mutema (Lima Duarte). Em Mulheres de Areia, os cantores surgem como atração de uma competição de esculturas na areia, da qual Tonho da Lua participa. Na versão original, o jogador Pelé foi um dos jurados da disputa. Em 1993, além de Chitãozinho & Xororó, a jogadora de vôleiIsabel e o locutor de rodeios Asa Brancamarcaram presença na bancada do júri.

- Quem também participou da novela foram os artistas do Grande Circo Popular do Brasil, de propriedade de Marcos Frota (vocês já viram o ator no trapézio em Cambalacho né?). O espetáculo promovido por Vera, a esposa do vice-prefeito, visava a arrecadação de agasalhos. Alguns figurantes, desavisados, levaram peças, que foram doadas para uma campanha liderada por Herbert de Souza, o Betinho.


- O ator Serafim Gonzales, o Alemão da versão 1973 e o Garnizé da versão 1993, era o responsável pelas esculturas de areia, atribuídas, na ficção, a Tonho da Lua. Foi Serafim quem sugeriu a autora, sua amiga, dar ao personagem o ofício de escultor. Serafim e seu filho,Daniel, chegavam a fazer quatro esculturas por dia, para atender a demanda das cenas, e estavam à postos, em média, três horas antes da chegada da equipe. O trabalho, que consumia meio caminhão de areia, começava com a formação do montante de areia (necessariamente realizada pelos escultores em virtude da complexidade do trabalho). Alguns detalhes das esculturas eram finalizados por Marcos Frota, em cena.

Antonio (Marcos Frota)





- A banda Easy Rider, que cantava um dos temas de Malu, ‘Dirty Game’, também participou da novela. Na sequência, Malu organizava a gravação de um clipe da música, assessorando os integrantes da banda durante as tomadas.

Capa de
- Sobre a trilha sonora, aliás, uma curiosidade: corre o boato de que Ivani Ribeiro vetou a execução de temas internacionais, tamanho o seu apreço pelos temas nacionais. Algumas faixas, no entanto, foram executadas durante a lua de mel de Raquel e Marcos, como ‘Easy’, de Faith no More. A vilã também ganhou tema internacional, ‘No Ordinary Love’, na voz deSade. O mesmo para Malu e Alaor(Humberto Martins), com ‘Bed of Roses’, deBon Jovi.

- Grande parte da trilha internacional pode ser ouvida na vinheta de encerramento da novela. Em 1993, a TV Globo deixou de apresentar o tema de abertura durante os créditos finais, como acontece em Despedida de Solteiro. Os temas nacionais e internacionais, antes restritos às cenas do próximo capítulo (também extintas), passaram a encerrar Mulheres de AreiaO Mapa da Mina e Renascer.

E já que estamos falando das novelas que dividiram o horário nobre da TV Globo comMulheres de Areia, vamos aos números de audiência. Atenção para os índices!

Álvaro (Tony Ramos) e Alvinho (Eduardo Caldas)
Mulheres de Areia estreou com 46,3 pontos, três a mais do que o primeiro capítulo deDespedida de Solteiro, em junho de 1992. A audiência da primeira semana superou não só a antecessora, como também Felicidade eSalomé: 43,5 pontos de audiência!

- Os números cresceram ao longo da trama.  No capítulo em que Raquel e Virgílio se reencontravam, os índices superaram os deRenascer, a maior audiência do horário da oito na década de 90. A novela também bateu oJornal Nacional, em várias ocasiões.

- O último capítulo chegou a impressionantes 70 pontos de pico, feito inédito para o horário das seis. O vice-presidente de operações da TV Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, oBoni, chegou a emitir um memorando felicitando a equipe de Mulheres de Areia pelo sucesso.

- Quem faturou, involuntariamente, como todo esse sucesso, foi a fabricante de eletrônicos Sharp. Em 1993, a TV Globo havia implantado um novo modelo de merchandising, no qual o anunciante tinha o direto de exibir sua logomarca durante a veiculação de filmes (algo que se repete até hoje, com o anunciante da Tela Quente, por exemplo, tendo sua marca exposta no início de cada bloco do longa-metragem em cartaz). Por um erro técnico, a logomarca da Sharp surgiu durante um dos capítulos de Mulheres de Areia, mesmo não sendo a empresa patrocinadora da trama.

João (Tarcísio Meira), Jerônimo (Claudio Cavalcanti), Padre Bento (Macedo Neto) e Duda (Claudio Marzo) em Irmãos Coragem
- Tamanho sucesso levou os executivos da TV Globo a arrancarem os cabelos na busca por uma substituta à altura de Mulheres de Areia. A princípio, cogitaram regravar Irmãos Coragem, inicialmente prevista para substituirO Mapa da MinaSérgio Marquesresponderia pelo roteiro; a imprensa já apontava José MayerLeonardo Vieira eMaurício Mattar como os protagonistas João,Jerônimo e Duda.

- O remake de Irmãos Coragem foi protelado, em virtude da semelhança de temas – a exploração de garimpos – com a próxima novela das oito, Fera Ferida. A partir daí, duas sinopses passaram a disputar a vaga: Mãe e Filha, de Alcides Nogueira, que posteriormente serviria de embrião para O Amor Está No Ar; e Alto da Serra, trama de cunho abolicionista desenvolvida por Flávio de Campos e Marcílio Moraes.

- A TV Globo acabou escolhendo outro remake, concebido a partir de duas tramas de Teixeira FilhoA Pequena Órfã Ídolo de Pano se uniram para dar origem a Sonho Meu, de Marcílio Moraes.


Wanda (Malu Mader) em O Mapa da Mina


Malu Mader como Wanda, em O Mapa da Mina.


- Cogitou-se ainda a possibilidade de encurtar a novela das sete, O Mapa da Mina, marcada pelo insucesso, e alterar o horário de Mulheres de Areia, que passaria a ser exibida mais tarde. A medida fora descartada após a elevação dos números de O Mapa da Mina, que ganhou reforços no elenco e mudanças na direção.

- Antes, porém, para conter a fuga de telespectadores para o Aqui Agora, do SBT, a TV Globo diminuiu o tempo de arte de O Mapa da Mina, aumentando a duração dos capítulos deMulheres de Areia em 15 minutos.

- Uma curiosidade: os atores Eva Wilma e Gianfrancesco Guarnieri, da versão original deMulheres de Areia, se reencontraram em O Mapa da Mina; ela, como Tatiana, uma milionária; ele, como Vicente, um cambalacheiro, tal e qual Jejê, de Cambalacho.

Mulheres de Areia não foi sucesso só no Brasil. A novela também fez história no exterior, chegando a faturar prêmios e levar o povo às urnas. Confira!

Ruth (Glória Pires) e Marcos (Guilherme Fontes)
- Um anúncio publicado pela TV Globo em revistas da Europa, para estimular as vendas de Mulheres de Areia, foi premiado pela revista TV World, como melhor campanha de mídia impressa de 1993. Dividido em três páginas, o cartaz trazia as características de Ruth, as de Raquel e a disputa das irmãs por Marcos.

- A versão internacional da novela, 130 capítulos de 60 minutos, fora exibida em países como Grécia, Indonésia, Suíça, Turquia, Líbano, Israel e Bélgica.

Isabel (Lúcia Alves) e Letícia (Sílvia Pfeifer) em Tropicaliente.
- Na Rússia, Mulheres de Areia foi apresentada como uma espécie de continuação de Tropicaliente, que fez muito sucesso por lá sob o título de Tropikanka. A história de Ruth e Raquel, Secret Tropikanki(algo como “o segredo da mulher tropical”), era veiculada às oito da manhã.

- Na Rússia, o voto não é obrigatório. O canal que veiculava Mulheres de Areia, na intenção de incentivar eleitores a não viajarem e comparecerem às urnas, exibiu, no dia das eleições presidenciais, um capítulo especial da novela, com três horas de duração. As chamadas do canal induziam o telespectador a acreditar que aqueles seriam os últimos capítulos da novela; tratava-se, na verdade, da penúltima semana da trama. Em uma das zonas eleitorais, na cidade de Tambov, fora instalado um aparelho de TV, para que os fãs não perdessem a exibição. O aparelho, entretanto, explodiu, ferindo algumas pessoas e irritando aqueles que pararam para ver a novela.

- Um dos candidatos à presidência, Boris Iéltsin, chegou a divulgar que Glória Pires torcia por sua vitória. A atriz ainda enfrentou problemas com uma editora russa que publicou, sem autorização, diversas fotos de Mulheres de Areia, em um livro de 478 páginas que repercutia a trama da novela. Os editores sequer possuíam ligação com a emissora que veiculouMulheres de Areia em território russo.

Mandala-Felipe Camargo, Vera Fischer
- Exibida em Portugal pela SIC, Mulheres de Areia padeceu com a concorrência de Fera Ferida e Mandala. Ambas empurraram a trama de Ivani Ribeiro para o terceiro lugar de audiência. Vale ressaltar que a SIC, em 1993, ainda estava engatinhando (havia estreado no ano anterior, com a exibição de De Corpo e Alma).

- Em 2002, a TV Globo cogitou produzir uma versão em espanhol de Mulheres de Areia, em parceria com a rede hispânica Telemundo, dos Estados Unidos. A adaptação disputava vaga com Anjo Mau, de Cassiano Gabus Mendes, eO Astro, de Janete Clair. Entretanto, o insucesso da primeira parceria Globo-Telemundo, uma versão de Vale Tudo para o mercado hispânico, levou ao engavetamento do projeto.

Você sabia que Mulheres de Areia quase foi exibida pelo VIVA em sua estreia, lá em 2010? A TV Globo, na época, não liberou a novela, uma vez que pretendia reprisá-la no Vale a Pena Ver de Novo. Com isso, Mulheres de Areia foi para os arquivos.

Teodora (Débora Bloch) em Salsa e Merengue
- A trama já havia ganhado reprise na faixa vespertina, entre 25 de novembro de 1996 e 25 de abril de 1997. Esse repeteco bombou! Os capítulos exibidos entre 03 e 09 de fevereiro de 1997 fizeram de Mulheres de Areia o quinto programa mais visto da TV Globo em São Paulo, com média de 31 pontos, estando assim à frente da trama das seis, Anjo de Mim, e a apenas um ponto do cartaz das sete,Salsa e Merengue.

- Aliás, a TV Globo esticava ao máximo os capítulos de Mulheres de Areia, compensando assim a queda de audiência no horário nobre, principalmente na faixa de Anjo de Mim. A novela das seis passou a entrar no ar às seis e meia e o Vale a Pena Ver de Novo foi estendido, ocupando essa meia-hora de “atraso” na grade.


Novela Anjo de Mim

- Por conta dos índices de Mulheres de Areia, a TV Globo optou pela reprise de A Viagem, outro sucesso de Ivani Ribeiro (que nós já vimos aqui), para substituí-la.

- E qual foi a trama que Mulheres de Areia substituiu no Vale a Pena Ver de Novo em 1996?Meu Bem, Meu Mal, que o VIVA exibe em 2016. A novela também dividiu a grade com O Rei do Gado e A Indomada, às oito, e O Amor Está no Ar, às seis.

Clô Hayalla (Regina Duarte)
- Em 2011, veio a reprise que inviabilizou a exibição de Mulheres de Areia logo na estreia do VIVA. Essa segunda reapresentação foi justificada como uma homenagem da TV Globo aos 60 anos de teledramaturgia no Brasil. A comemoração contou ainda com O Astro, de Janete Clair, adaptada por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro, inaugurando um novo horário, o das onze, e um novo formato de teledramaturgia.

- Em seu site, na mesma nota em que anunciava a reexibição da novela, a TV Globo informava que a abertura passaria por modificações. A nudez de Mônica Carvalho seria atenuada por não ser “compatível com os padrões morais atuais do país”.

- Não foi a primeira vez que a TV Globo alterou a vinheta de uma novela para exibi-la no Vale a Pena Ver de Novo. Em 1994, a abertura de Tieta foi escurecida e os créditos apareciam subindo a tela, como os de encerramento, ofuscando a nudez de Isadora Ribeiro. Em 1996, a abertura de Mulheres de Areia também foi modificada, mas de forma sutil, quase imperceptível ao telespectador mais desatento.

- O que muita gente não sabe é que a abertura de Mulheres de Areia já havia sofrido modificações em 1993. A versão exibida no Fantástico, no dia anterior a estreia, foi alterada três horas antes do primeiro capítulo ir ao ar. Tomadas em que os seios e os pelos pubianos de Mônica Carvalho eram expostos foram substituídas por sequências em que a então modelo aparecia quase que totalmente coberta pela areia. A decisão de suprimir tais cenas partiu de Boni, que alegou que a vinheta, tal qual fora exibida no dominical, “fugia da proposta da novela” (em entrevista a Folha de São Paulo, em 06 de fevereiro de 1993).

- A segunda reprise de Mulheres de Areia foi exibida entre 12 de setembro de 2011 e 09 de março de 2012. Neste período, a TV Globo levou ao ar as novelas Fina Estampa, às nove;Morde & Assopra e Aquele Beijo, às sete; Cordel EncantadoA Vida da Gente e Amor Eterno Amor, às seis.


Domingos Montagner



Domingos Montagner como Capitão Herculano em Cordel Encantado.

Com Mulheres de Areia, o Vivo no VIVA encerra a série bastidores. Leia os outros textos:aqui, os bastidores de Laços de Família; e aqui, os bastidores de Meu Bem, Meu Mal. Até semana que vem, pessoal!

Nenhum comentário: