domingo, 29 de abril de 2018

Gloria Pires completa 50 anos de carreira: 'na minha vida tento ser livre'

Casada há 30 anos e prestes a fazer 55, ela fala sobre novos planos 

POR JACQUELINE COSTA 


No dia em que as fotos deste ensaio de moda foram feitas, Gloria Pires acordou às 3h30m. A insônia bateu forte, ela até deu uma cochilada, mas não conseguiu mais embarcar no sono de verdade. Viu um filme e, quando começou a clarear, foi para o tatame que tem em casa, fazer exercícios e se alongar. Acabou chegando à locação, uma casa em frente ao mar na Avenida Niemeyer, bem antes do maquiador, da camareira, do fotógrafo, dos assistentes e de todo um entourage envolvido na produção. Nem por isso apressou ninguém. Esperou calmamente o circo à sua volta ser montado. Uma das maiores estrelas da TV brasileira, Gloria é simples assim. A primeira impressão que passa é a de ser uma pessoa zen, gentil, muito equilibrada. A Beth de “O outro lado do paraíso” diz que, depois do final da novela da TV Globo, vai tirar um mês de férias, para voltar ao trabalho com uma novidade em sua carreira. Ela produzirá um longa, baseado numa história do sociólogo Luiz Eduardo Soares. O nome provisório é “Enquanto anoitece”, mistura de suspense e drama. 

— A coisa de produzir está me empolgando demais. Amo atuar, mas chega uma hora em que você começa a querer ter mais autonomia, falar sobre coisas que realmente acha importantes. É muito bom receber um convite, mas é diferente de um projeto que você pensou, bolou. Quero discutir os rumos dessa dramaturgia, fazer orçamento, definir equipe — conta, empolgada. — As filmagens devem começar em setembro ou outubro, com direção do Pedro Peregrino. O resto não posso falar, porque ainda não assinamos. 

A vida de atriz pode ganhar uma pausa boa porque Gloria não esconde que se sente muito cansada com o pique de uma novela. 

— Falo sobre aposentadoria, mas isso não quer dizer que eu vá ficar entregue, de pijama. Quero me aposentar desse ritmo muito intenso. Comecei muito cedo e agora pretendo curtir meus filhos, aproveitar que ainda tenho saúde para viajar, para fazer projetos — avisa. — Tenho tido uns picos de pressão e estou investigando como anualmente faço. Mas o fato é que, quando você começa a fazer novela, lá pela frente chegam os problemas, como a insônia. 


Ao longo do ano, sem uma data definida, Gloria vai completar 50 anos de carreira. Ela diz que é o tipo de pessoa que segue em frente, sem ficar parando para balanços: 

— Não sou de ficar computando. Agora por causa desse negócio dos 50 anos é que estou visitando o passado, lembrando situações, trabalhos. Nunca tive essa coisa de ter uma conta na cabeça. Por ter uma rotina muito apertada, acho que também é um escape para pensar em outras coisas e não deixar a criatividade massacrada. Tenho procurado ver tudo de outra maneira, não perder o frescor. 

No dia 23 de agosto, a atriz completará 55 anos de vida. Ela conta que é superdisciplinada em relação à alimentação e aos exercícios. Além de praticar musculação com um personal trainer, é adepta do método Delune, que trabalha a força e a mobilidade das articulações por meio de movimentos primordiais do ser humano, como se arrastar, rolar, se pendurar, engatinhar. Carne vermelha ela não come desde os 12 anos, mais por uma questão meio “mística”. 

— Sempre tive esse chamado, esse interesse. Desde novinha, tinha uma coisa me levando para esse lado do misticismo. Sou bastante kardecista e também gosto muito do budismo. Meu pai fazia ioga, e eu praticava com ele. Ele e a minha mãe fizeram macrobiótica assim que surgiu. Os dois estavam sempre em busca de uma maneira melhor de viver. Acho que absorvi bem essa pegada. Privilegio boas práticas em geral — diz a atriz. 

Dona do site Bemglô, ligado ao seu estilo de vida, Gloria tem também um lado organizer pouco conhecido. 

— Sinto que a minha cabeça está desorganizada quando a minha mesa de trabalho está bagunçada. É impressionante. Preciso abrir os armários, ver que está tudo organizado. Não chega a ser toque, porque não sofro. Também gosto muito de trabalhos manuais. Houve uma época em que bordava, fazendo ponto cruz. Já estofei cadeira, pintei móvel, fiz pátina, pintei porcelana e adoro desenhar. Gosto muito de fazer obra, aí faço os projetos e passo para o arquiteto todas as ideias.


Sobre os 30 anos de casamento com o músico Orlando Morais, completados no dia 5 deste mês, Gloria diz que não tem uma fórmula, e que altos e baixos são normais, sim. 

— Para mim, foi como completar um ano. Uma aventura, né? Porque você não tem receita, você não sabe se aquilo vai adiante, você não sabe se o amor vai ser suficiente, se você vai conseguir superar as crises, se o dia a dia não vai colocar tudo a perder. São tantas questões com as quais você tem que lidar. O Orlando é um parceiro maravilhoso de viagem. A gente tem celebrado cada ano como uma vitória do nosso encontro. Muita gente fala dessa coisa do tempo: “Ah, vocês são um exemplo, vocês inspiram”. Ele me inspira, sabe? A gente tem muita afinidade, muita troca e amizade. 

Em um determinado intervalo da sessão de fotos, quando a assessora de imprensa da atriz mostrou o livro que está lendo — “A sutil arte de ligar o F*oda-se”, de Mark Manson —, Gloria não conteve os risos: 

— O meu, eu já liguei há muito tempo! 

Nossa estrela da capa se acha tímida, reservada. Diz que é de poucos, mas bons amigos. 

— Gosto muito de farra, mas, se estiver numa festa, sempre vou preferir ficar discreta, sem os holofotes voltados para mim. De forma geral, na minha vida tento ser livre. Acho muito chato ceder às pressões externas. É importante você ter a sua opinião, ter a sua maneira de viver e preservar isso. Não sei se penso assim pelo fato de ter vivido a minha adolescência fazendo uma novela que foi superbombada, “Dancin’ Days” (trama de Gilberto Braga, de 1978, que deu a Gloria o sucesso e o reconhecimento definitivo do público). Foi uma coisa muito complicada lidar com a expectativa das pessoas e com a minha. 

Mãe de Cleo, Antonia, Ana e Bento, ela diz que não foi dominadora ou possessiva com nenhum deles. Nunca os obrigou a andar numa linha reta traçada por ela. A mais velha, Cleo, fruto de sua relação com Fabio Júnior, é, de longe, a mais polêmica da família. Retirou o Pires do nome artístico no ano passado e não tem medo de expor suas opiniões, seja sobre sexo a três, seja sobre o gosto que tem por fazer fotos que mostrem o corpo de uma maneira muito sensual em sua conta no Instagram (@cleooficial), que tem 7,5 milhões de seguidores. Ao ser indagada se se sente incomodada com a exposição da primogênita, Gloria, tranquilamente, responde: 

— Não, porque é uma coisa dela. Cada pessoa precisa encontrar a sua expressão, ainda mais ela sendo uma artista. Isso é um caminho individual, não tem receita. Cada pessoa é uma história. É a mesma coisa você querer pegar um relacionamento que tem como exemplo e querer reproduzir. Não dá certo, porque você tem que bater com a pessoa. Então a trajetória artística dela é muito diferente da minha, e é normal que seja assim. Acho maravilhoso que ela esteja cada vez mais se encontrando. Porque também a gente não sabe onde as coisas vão dar. Só sabemos o resultado se fizermos. Acho que é uma maneira de ela se expressar. Não é uma coisa que alguém falou para ela fazer. Tudo que Cleo faz é autêntico e isso é maravilhoso. É como na música do Caetano: “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. 


A mesma atitude tranquila permanece quando lembro que sua família foi uma das primeiras vítimas de fake news do Brasil, em 1998, quando se espalhou o boato de um envolvimento de Orlando com Cleo. 

— Na época, não existiam as redes sociais. Impressiona a ingenuidade das pessoas que estão chegando agora e que ainda não sabem que essas mentiras existem. E o negócio da Marielle? Dias depois do assassinato, cheguei à TV Globo para me arrumar, e tinha uma menina falando para outra: “Ah, porque ela era ligado ao Comando Vermelho”. Aí, eu falei: “olha só: isso é mentira. Você não passa isso adiante, não! Porque isso dá cadeia” — conta Gloria. — Se você repassa algo só porque recebeu, está sendo conivente. A maldade faz parte do ser humano, mas tem gente que consegue domar e botar o inimigo debaixo do pé. Só que há os que ficam à mercê do ruim, do falar mal. Não existem pessoas que ligam só para te dar notícia ruim? 

A atriz Laura Cardoso , de 90 anos, foi mãe das gêmeas Ruth e Raquel, interpretadas por Gloria em “Mulheres de areia”, em 1993. Agora, em “O outro lado do paraíso”, as duas voltaram a contracenar em um bordel. Laura não mede elogios para falar da companheira de novela: 

— Gloria Pires é uma das mais importantes atrizes deste país. Tenho por ela um carinho de mãe para filha. Já fizemos outros trabalhos juntas. É uma deusa — diz Laura. 

Verdade, Laura. É uma deusa gloriosa. 


Direção de moda: Patricia Tremblais. Beleza: Markito Costa com produtos Nars. Assistentes de fotografia: Rômulo dos Santos e JoãoJúlio MelloProdução executiva: Matheus Martins.Tratamento de imagem: imagetouch Agradecimentos: Rio Exclusive e Panelada RJ

Fonte:
Ela - O Globo

Nenhum comentário: