terça-feira, 9 de julho de 2019

Gloria Pires fala de futuro dos filhos e elogia Cleo: "Ela não tem medo de nada"

Atriz, que viverá dona Lola, no remake de 'Éramos Seis', conversou com QUEM sobre a trama, sua relação com as redes sociais e ainda revelou o motivo de nunca ter feito teatro. Gloria Pires é mesmo uma mãe babona. 

A atriz se enche de orgulho ao falar dos filhos, Cleo, Antônia, Ana e Bento Morais. Em um bate-papo descontraído com QUEM, a artista comentou sobre o talento dos herdeiros, elogiou a maneira como a primogênita lida com as críticas e revelou o motivo de nunca ter feito teatro. Escalada para o remake de Éramos Seis, a estrela consagrada da dramaturgia disse que entra em estúdio na próxima semana. 

"As três filhas são cantoras e atrizes. A Ana que não está muito nessa de ser atriz. Ela teve uma experiência que ela achou um pouco massante. Mas está muito envolvida com a coisa de cantar, de tocar. O Bento, que tem muito jeito para dança, para cantar, tocar, está envolvido com o futebol. Só quer saber em jogar bola e aquele joguinho do computador. É um universo totalmente diferente da nossa família. Mas é bom também. Acho importante que eles possam encontrar o seus caminhos", afirma. 

Gloria diz que ela e o marido, Orlando Morais, são pais bem liberais e também puderam fazer suas escolhas quando jovens em suas famílias. "Nós também tivemos muita liberdade em nossas famílias de origem. A gente pode ser o que quiser. O Orlando, por exemplo, subverteu totalmente o que rolava na família dele, que são todos fazendeiros. Ele foi para a música. A vida é isso, um constante movimento. Você não tem controle. O importante é ser feliz e se realizar no que gosta", acredita. 

Ao ser questionada se ela se preocupa com as críticas que Cleo é exposta na web, Gloria conta que a filha sabe o que está fazendo. A mãe só intervém ao ser chamada. "Não intervenho em nada. Quando ela me pergunta, me pede alguma opinião, me traz uma questão, tanto ela quanto os outros também, eu converso. Mas ela não tem medo de nada. Isso é uma característica dela e eu acho isso fantástico. Ela está, cada vez mais, feliz com o rumo que a vida dela está tomando. A Cleo está investindo muito na carreira musical. Eu acho maravilhoso", declara. 

"Essa coisa toda da internet faz parte. É o mundo que ela está convivendo e toda essa geração nova vai ter que aprender a lidar com isso. Nós temos que aprender a lidar com as coisas novas que aparecem, cada um da sua forma, no seu tempo", completa ela, que se considera uma usuária ainda tímida nas redes sociais. "O Orlando gosta muito das redes sociais. A gente acaba tendo que fazer parte porque é um artefato, que virou uma extensão do nosso trabalho. Tem esse lado maravilhoso de divulgação. Acho muito interessante a gente poder falar diretamente com o nosso público. É uma novidade que veio para ficar. Não podemos ignorar tudo isso. Acredito que esse universo ainda vá sofrer muitas transformações", sugere. 

Para quem está com saudade de ver Gloria brilhando na TV, ela avisa que em breve estará de volta. "Nós vamos começar a gravar Éramos Seis agora, no dia 15. Minha personagem é a dona Lola. Terão algumas coisas novas. Eles tiveram essa preocupação de trazer algumas novidades, apesar de ser o terceiro remake da novela. A primeira versão foi nos anos 70 e a segunda nos anos 90, mas eles querem ter algo diferente para as pessoas", diz. 

Apesar de não fazer teatro, a atriz valoriza muito a arte de atuar nos palcos. "É lindo o teatro. Ele tem uma vibração que só acontece ao vivo. É muito mágico você ver um espetáculo com uma preparação artística, um potencial. Você vê os efeitos, os figurinos, ao vivo, têm outro efeito. É mágico. A gente viaja no tempo", define, Gloria, que confessou já ter ensaiado uma peça e abandonou assim que ela entrou em cartaz. "Fiquei esperando o momento em que eu não estivesse ocupada com um projeto na televisão e isso nunca aconteceu. Eu via colegas fazendo teatro, novela e cinema e admirava muito essa capacidade. Mas nunca achei que eu seria capaz de fazer isso tudo ao mesmo tempo. Por acaso, surgiram muitos convites legais, mas sempre quando estava envolvida com TV. Não tem um motivo específico para eu não ter feito teatro. Aliás, pouca gente sabe, mas eu fiz um musical infantil. Foi minha única experiência teatral. Ensaiei a peça e quando estreou, fui convidada para fazer Cabloca e saí. Isso foi em 1979", recorda.

Fonte:

Nenhum comentário: