domingo, 30 de setembro de 2012

Frutos da Gloria

Capa do Jornal O Dia - 30/09/2012


Gloria Pires se emociona ao falar dos filhos, que seguem sua carreira

Por Paulo Ricardo Moreira
Fotos: Divulgação

Rio -  Aos 49 anos, mais de 40 deles de carreira, Gloria Pires vive uma nova emoção ao estrelar o remake de ‘Guerra dos Sexos’, que estreia amanhã, às 19h, na Globo. É que, pela primeira vez, ela vai estar numa novela com a filha, Antonia Morais, 20, que só entrará na trama de Silvio de Abreu por volta do capítulo 50. Apesar da experiência, a atriz ainda não sabe como será se dividir entre o papel de mãe e colega de cena.


“Não sei se dá para separar as coisas, mas tento não ficar ansiosa. Até incentivei que ela fosse ao estúdio, antes de começar a gravar, para se ambientar. Porque é difícil entrar numa novela, mesmo para quem é mais experiente, depois que todos já estão gravando”, diz Gloria, que é mãe da também atriz Cleo Pires, 30 — que estará em ‘Salve Jorge’, a próxima novela das 21h —, Ana, 12, e Bento, 7. “A Cleo falou: ‘Ainda bem que nossos estúdios não são lado a lado’. Não sei como eu faria. Acho que estarei o tempo todo com uma e pertinho da outra. Não sou invasiva, não, mas sou curiosa, quero dar meu parecer se elas precisarem”.



Casada com o músico Orlando Morais, Gloria conta que ela e o marido nunca incentivaram os filhos a seguirem a vida artística. Mas o ambiente que envolve a família se encarregou de influenciar as escolhas das crianças. Isso sem falar que a atriz é filha do também ator Antônio Carlos, morto em 2005. “Penso no meu pai, porque ele está muito presente nessa história toda”, emociona-se ela, lembrando que sua casa sempre foi frequentada por artistas. “Esse ambiente influenciou cada um de uma forma diferente. Como toda mãe, quero que meus filhos sejam felizes, independentemente da carreira que vão abraçar. Não acho legal interferir. Sei o quanto é importante ter prazer no trabalho”, avalia.


Segundo a atriz, Antonia sempre gostou de plateia. “Com 3, 4 anos, ela andava fantasiada. Aos 9, já fazia peças e shows em casa. Era diretora, atriz, cenógrafa, arrumava função pra todo mundo. Uma loucura”, diverte-se Gloria, recordando que, quando a menina era recém-nascida, a levava para as gravações de ‘Mulheres de Areia’ (1993), em que vivia as gêmeas Ruth e Raquel. “Tinha um camarim só pra ela na cidade cenográfica, no Projac. Eu a amamentava nos intervalos das cenas”.

Com o mesmo orgulho com que fala de Antonia, Gloria conta que Cleo — fruto de seu casamento com o cantor Fábio Jr. — também já dava sinais, desde pequena, que optaria pela profissão. “Era extrovertida, comunicativa, gostava de cantar, contava piada”, entrega. Já Ana, com quem ela contracenou no episódio ‘A Mãe da Barra’, da série ‘As Brasileiras’, a surpreendeu. “Ela é introspectiva, gosta de ler. Não manifestava essa vocação da Cleo e da Antonia. Tem o senso crítico muito aguçado. Quando ela quis fazer o teste para a série, fiquei muito surpresa. Mas ela foi muito bem”, derrama-se.

Se Bento vai seguir a tradição da família, Gloria ainda não tem condição de afirmar, mas já tem algumas pistas. “Ele é muito ágil, louco por esporte, treina para praticar parkour, gosta de filmes de artes marciais e imita o Michael Jackson. Diz que quer ser cantor e mágico”, revela a atriz. “Acho bonito essa continuação artística, que começou com meu pai. Mas a gente preserva muito a individualidade e o espaço de cada um”.




Não bastasse trabalhar com a filha em ‘Guerra dos Sexos’, Gloria festeja a oportunidade de voltar a atuar com amigos como Tony Ramos, com quem compartilhou o sucesso dos filmes ‘E Se Eu Fosse Você’, e Carlos Alberto Riccelli, com quem atuou na novela ‘Vale Tudo’ (1988/89), reprisada pelo canal pago Viva. Além de retomar o humor, gênero que marcou o começo de sua carreira nos anos 70. “Adoro comédia. No início da carreira, fiz muito programa de humor com o Chico Anysio e o meu pai. O mais difícil é ter maturidade para ele, tem que poder rir de você mesmo”, frisa.


Na trama, dirigida por Jorge Fernando, Gloria vive a empresária Roberta Leone, que vai assumir a fábrica de roupas esportivas da família, a Positano, depois que o marido, Vitorio (Carlos Alberto Riccelli), morrer, no primeiro capítulo. Ela vai se aliar à amiga Charlô II (Irene Ravache) na luta contra Otávio (Tony Ramos) pelo controle da rede de lojas Charlô’s. No conflito entre homens e mulheres, abordado na novela, a atriz prefere por panos quentes: “Acho que, se cada um olhasse para o seu próprio defeito, em vez de apontar o do outro, seria ótimo. As pessoas poderiam melhorar suas relações”.

A personagem de Gloria vai se envolver com o motorista Nando (Reynaldo Gianecchini) e, ao mesmo tempo, despertar a paixão de Felipe (Edson Celulari), filho de Charlô. Ela conta que já gravou até uma cena de beijo com Gianecchini. “Não é uma cena de romance ainda, foi um delírio dela”, detalha. “Giane é um querido, bom ator, está fazendo muito bem o motorista ingênuo. Tinha vontade de trabalhar com ele, e agora estamos juntos. Estou adorando”.


Fonte:

Nenhum comentário: