quinta-feira, 31 de maio de 2012

Homossexualismo em filme com Gloria Pires afasta patrocinadores

“Flores Raras”, dirigido por Bruno Barreto, conta a história de amor entre a escritora americana Elizabeth Bishop e a arquiteta carioca Lota Macedo de Soares.
Luisa Girão, iG Rio de Janeiro

Um diretor renomado que já teve filme até indicado ao Oscar. A protagonista é uma das atrizes mais disputadas do cinema nacional com uma carreira invejável por muitos. O roteiro tem como tema central a história de amor entre duas figuras importantes para a história do Rio de Janeiro e da literatura internacional. Com todos esses atributos é fácil imaginar que a produção do filme “Flores Raras”, dirigido por Bruno Barreto e com Gloria Pires no elenco, não teria problemas para a captação de patrocínios.

Foto: Roberto Filho/AgNews
O diretor Bruno Barreto com Glória Pires e Miranda Otto, protagonistas do filme "Flores Raras"

No entanto, o longa-metragem enfrenta fortes barreiras nesse sentido. “Não conseguimos um tostão de nenhuma empresa privada”, afirmou Bruno, durante coletiva de imprensa de apresentação do filme, nessa quinta-feira (31), no Hotel Pestana, na Zona Sul do Rio.
Isso acontece porque o filme tem como tema central o relacionamento homossexual entre duas mulheres: Elizabeth Bishop (interpretada por Miranda Otto), poetiza americana que ganhou o prêmio Pulitzer, e Lota Macedo Soares (Gloria Pires), arquiteta carioca dos anos 50 que idealizou e supervisionou a construção do Parque do Flamengo. O roteiro é baseado no livro “Flores Raras e Banalíssimas” de Carmem Lucia de Oliveira. “Quando apresentamos o projeto para as empresas, eles dizem que a história é linda. Mas na hora de dar a resposta, eles tiram o corpo fora alegando que não podem atrelar a imagem da empresa a esse assunto. Nunca esperei passar por isso em pleno século XXI e num país que se diz de mente aberta”, contou Paula Barreto da LC Barreto Produções.
O orçamento total do longa-metragem – que começa a ser rodado no dia 11 de junho - é de aproximadamente R$ 13 milhões, mas até o momento, só R$ 9 milhões foram captados através do do do BNDES, de instrumentos estatais, e da Globo Filmes, Telecine e Imagem Filmes. "É a primeira vez, em 50 anos da nossa produtora, que vamos começar a rodar um filme sem o orçamento fechado. Mas esse era o único período disponível para as atrizes gravarem. Espero que o Eike Batista, o messias do Rio, e outros investidores que olhem para nosso projeto”, disse ela.

Elenco não quer levantar bandeiras

O filme terá 98% das falas em inglês e vai se concentrar na história de amor das duas mulheres, que viveram um romance homossexual abertamente, na época de Ditadura Militar. “O filme conta a história de uma pessoa fraca e alcóolatra [Elizabeth] que vai ficando cada vez mais forte por saber lidar com as perdas, e de outra, Lota, que é forte mas vai ficando fraca por não saber lidar com isso. É uma história de amor única”, disse ele, acrescentando: "Elas se amaram e viveram juntas os momentos mais importantes de suas vidas. Bishop ganhou o Pulitzer quatro anos depois de estar com Lota. E Lota fez o parque do Flamengo, que é uma das melhores obras do mundo. Por muito tempo elas cresceram juntas, depois começaram a crescer em direções opostas".


Foto: Roberto Filho/AgNews
O roteirista Matthew Chapman, Tracy Middendorf, Miranda Otto, Bruno Barreto, Glória Pires e Lucy Barreto durante a coletiva de imprensa

Para retratar melhor o drama, Gloria Pires e Miranda Otto, conhecida por sua atuação em “Senhor dos Anéis”, ainda encenarão um beijo e uma cena de sexo, mas Barreto fez questão de salientar que será uma cena discreta, para não tirar o foco da trama. “O tema central não é a preferência sexual delas. Tratamos o assunto com naturalidade e tomamos cuidado para não sermos pudicos. Existe uma cena de sexo, de quando elas fazem amor pela primeira vez, mas é para ilustrar a relação delas. O brasileiro se diz muito liberal, mas na verdade, somos conservadores”, afirmou.
Mesmo não querendo levantar bandeiras, Gloria espera que o filme abra a cabeça dos expectadores. “Todo preconceito vem da falta de conhecimento. Sempre que se coloca um assunto na roda, ele é debatido e isso é bom. Espero que o longa sirva para que essas pessoas vejam a temática de outra forma e não fiquem tão preocupados com a opção sexual de cada um”, afirmou.
O elenco de "Flores Raras" ainda conta com a atriz norte-americana Tracy Middendorf, que atuou recentemente nas séries "Boardwalk Empire" e "The Mentalist". Tracy interpretará Mary, que vivia com Lota antes de Bishop aparecer na vida da arquiteta. A produção, que tem estreia prevista para 2013, será rodada no Rio de Janeiro, Pedro do Rio (Petrópolis), Nova York e Veneza.
 
Foto: Roberto Filho/AgNews
As atrizes Tracy Middendorf, Gloria Pires e Miranda Otto

Fonte:
Último Segundo

Nenhum comentário: