sexta-feira, 1 de abril de 2011

Os detalhes macabros do assassinato de Araci pelas mãos da Norma

Norma vai executar com frieza o plano de eliminar a rival Araci

Foto: Divulgação/Rede Globo

.

Como já era esperado, o presídio fica pequeno para Araci (Cristiana Oliveira) e Norma (Gloria Pires) quando a enfermeira passa a enfrentar a bandida. Na intenção de mostrar poder, a traficante exige que Jandira (Cristina Galvão), amiga de Norma, lhe repasse os cartões telefônicos que estava dando à outra. Jandira se recusa a fazer isso e é ameaçada por Araci. Possessa, a bandidona jura a rival de morte. Com medo de que a inimiga cumpra a promessa, a enfermeira rouba uma faca do refeitório com a ajuda de Jandira. E convence Zoraide (Tânia Bôscoli), parceira de cela de Araci, a plantar o talher entre as coisas da perigosa da cadeia. Zoraide topa e ela própria denuncia a presença da faca no local às agentes penitenciárias, que levam Araci para a solitária. Nesse período, Zoraide é transferida para outro pavilhão, por também estar jurada de morte por Araci. Isso faz com que o prestígio de Norma entre as detentas cresça ainda mais. Após o assassinato, Norma vai se tornar a chefona da cadeia!

Norma rasga o rosto de Araci!


Quando sai da solitária, Araci cerca Norma no pátio. Já prevendo que isso ia acontecer, a viúva enganada por Léo (Gabriel Braga Nunes) coloca uma tesourinha entre os dedos e se defende dos golpes da rival com um soco, rasgando o rosto dela. Completamente ferida, Araci é transferida para a enfermaria e passa a ser cuidada pela própria Norma sem que ninguém saiba do ataque. Ao descobrir que será transferida para uma outra cadeia, a criminosa arma sua fuga usando um celular. Só que o aparelho toca diante do médico, que acusa Norma de ser cúmplice de Araci. Resultado: a enfermeira é quem vai parar no isolamento desta vez. Apavorada, Norma grita lá dentro e depois, ao ser pressionada pela diretora do presídio, revela, finalmente, o plano de fuga de Araci. Antes de ser isolada outra vez, a traficante inicia uma rebelião na xadrez, mata uma carcereira e uma detenta. Na sequência Norma tenta negociar com Araci a rendição dela, mas a marginal é dominada pelos policiais, que a abatem com balas de borracha. Mais uma vez a vigarista fica sob os cuidados de Norma. Cheia de ódio, a até aqui mandachuva garante: matará a grande adversária assim que se recuperar. Norma, então, dopa Araci com tranquilizantes e determina: a crápula morrerá naquela noite.


A prisão tem uma nova líder


Se fazendo de boazinha, Norma diz à inimiga que a perdoa e se oferece para entregar o dinheiro que ela tem guardado à sua filha. Grogue, Araci conta que escondeu a grana em um cofre na rodoviária e que a chave está em sua cela. Com essas informações, Norma convence a agente penitenciária a ir na cela da criminosa buscar a foto da menina. Lá, ela pega a chave do tal cofre, volta à enfermaria, dopa a carcereira, e quando ela dorme, sufoca Araci com um travesseiro. Depois do assassinato ela passa mal, chocada com o que fez. No entanto, na manhã seguinte, assume a postura fria, quando o corpo de Araci é encontrado. Apesar de ninguém conseguir provar nada contra a enfermeira, as detentas entendem que ela foi a responsável pelo extermínio da adversária e a transformam na nova chefona do pedaço. Poderosa e agora rica, Norma prepara a vingança contra Léo, que nem imagina ter transformado a mulher à qual enganou na mais terrível das homicidas.


Fonte de pesquisa:


M de Mulher

Nenhum comentário: