sábado, 23 de março de 2013

Gloria Pires: “É um sonho poder viver de uma coisa que gosto de fazer”

Publicado originalmente no site Vidas - Correio da Manhã (Portugal)
Por Duarte Faria

Aos 40 anos de carreira, a atriz brasileira Glória Pires diz que todos os dias aprende algo novo e que hoje está muito melhor do que quando tinha 15 anos.
- Com uma carreira de mais de 40 anos, mantém uma juventude invejável. Qual é o segredo?
- Os seus bons olhos (risos). Acho-me hoje muito melhor do que quando tinha 15 anos, por dentro e por fora.
- Cuida da sua saúde?
- Muito. Preocupo-me com a imagem, como todo o artista. Mas quem vive a rotina terrível de se ver todos os dias na TV sente que pode ser uma coisa muito nociva.
- Cansa-se de se ver na TV?
- Muito. É horrível. É uma faca de dois gumes. Por um lado, é a realização do desejo de estar a interpretar. Mas, por outro, a escravidão de nos vermos quase um ano na TV, nas revistas e todo o assédio que aumenta nessa altura, é má.
- Vê o seu trabalho?
- Sim. Na verdade, a novela que estou a gravar agora [‘Guerra dos Sexos’, emitida no Globo] é, das que fiz, a que mais vejo.
- Continua a aprender?
- Todos os dias. Seja a controlar a ansiedade, a ter mais compaixão com os colegas, ou comigo. Lidar com as dificuldades… é aquilo que mais aprendo, não só na TV mas em tudo. Quando vamos para um trabalho, queremos fazer o melhor. Mas, no decorrer do dia, às vezes, as coisas vão por água abaixo e acontece muita frustração…
- Quando isso acontece, com quem é que desabafa?
- Nem sempre é uma coisa verbalizada. É muito intimo. Às vezes, a dificuldade, a frustração e a tristeza não cabem em palavras. O processo de um ator é muito solitário.
- Sente a responsabilidade de ser um exemplo para as novas gerações?
- Tenho esse pensamento em algumas cenas, sem esquecer que estamos em ficção e é preciso ter o bom e o mau. Mas questiono-me sobre o que cada cena pode trazer de proveitoso, mesmo que através de um mau exemplo. A minha vida pessoal, procuro segui-la de forma a dormir tranquila à noite. Tenho o meu jeito de levar a vida mas sei que os filhos aprendem mais pelo exemplo do que por palavras.
- Tem duas filhas [Cléo Pires e Antónia Morais] atrizes. Incentivou ou desincentivou esta carreira?
- Nem uma coisa, nem outra. Sempre deixei claro que tinham liberdade para tomar as suas opções.
- Esta é a carreira com que sempre sonhou?
- É mais do que sonhei. Em todos os aspetos. É um sonho poder viver de uma coisa que gosto de fazer. Sempre tive excelentes oportunidades.
- Com o estatuto que tem, escolhe o que quer fazer ou aceita o que lhe dão?
- Tem de haver uma troca. Mas, normalmente, quando vêm os trabalhos, analiso, se é uma coisa que me interessa, faço. Nunca fiquei muito tempo sem trabalhar, sem uma proposta que me interessasse.
- Que conselho deixa às jovens portuguesas que querem ser atrizes?
- Que não desistam, que tenham seriedade, que estudem. Procurem ter ferramentas dentro delas, que é mais importante do que ter fora.
PERFIL
Nasceu no Rio de Janeiro, em 1963. Estreou-se na TV aos cinco anos, na novela ‘A Pequena Órfã’. O seu primeiro papel marcante foi em ‘Dancin’ Days’ (1978). Planejou comprar casa em Portugal, um projeto, para já, adiado.



Fonte:
Correio da Manhã (Portugal)

2 comentários:

Paula Pires disse...

Amei a reportagens da Glorinha, sempre simples e objetiva. Maravilhosaaa

Anônimo disse...

Muitoo fofaa ^^ Amei minha baixinha sendo entrevistada !!